O Iguassu - Seu jornal de notícias em Foz do Iguaçu
Untitled Document
Untitled Document
Untitled Document

EDITORIAIS

Edições Anteriores
Política

COLUNISTAS

Carlos Bachtold
José Reis (Cazuza) - Nossa Voz
Untitled Document

ULTIMAS NOTICIAS

Nossa Voz
ITAMED FRAUDA USUÁRIO
Edição 09-01
Edição 08-01
Edição 07-01
Edição 02-01
Edição 31-12
Untitled Document

ELES ESTÃO LENDO

MGMlado2
Untitled Document
Untitled Document

José Reis (Cazuza) - Nossa Voz

Nossa Voz

2014-12-20
 

Fale Conosco: nossavoz.foz@gmail.com


DO ENSINAMENTO BÍBLICO

“Lembre da minha ordem: 'Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, o Senhor, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!' ”

(Josué 1:9)


Fale Conosco: nossavoz.foz@gmail.com


DO ENSINAMENTO BÍBLICO

“Lembre da minha ordem: 'Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, o Senhor, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!' ”

(Josué 1:9)


BRASIL

Política

REVELADOS NOMES DE 28 POLÍTICOS DELATOS COMO BENEFICIÁRIOS DE ESQUEMA “PETROLÃO”

Ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, fez relação que inclui ministro e ex-ministros, governador, ex-governadores e parlamentares. Até o PSDB teve político denunciado pelo delator

Primeiro delator da Lava Jato, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa citou em 80 depoimentos que se estenderam por duas semanas, entre agosto e setembro, uma lista de 28 políticos – que inclui ministro e ex-ministros, deputados, senadores, governador e ex-governadores, como supostos beneficiários do esquema de corrupção e caixa 2 que se instalou na petrolífera entre 2004 e 2012.

Há nomes que, até aqui, ainda não haviam sido revelados, como o governador do Acre, Tião Viana (PT), reeleito em 2014, além dos deputados Vander Luiz dos Santos Loubet (PT-MS), Alexandre José dos Santos (PMDB-RJ), Luiz Fernando Faria (PP-MG) e José Otávio Germano (PP-RS). Entre os congressistas, ao todo foram mencionados sete senadores e onze deputados federais.

O perfil da lista reflete o consórcio partidário que mantinha Costa no cargo e contratos bilionários da estatal sob sua tutela – são 8 políticos do PMDB, 10 do PP, 8 do PT, 1 do PSB e 1 do PSDB.

Alguns, segundo o ex-diretor de Abastecimento, recebiam repasses com frequência ou valores que chegaram a superar R$ 1 milhão – dinheiro que teria sido usado em campanhas eleitorais.

Outros receberam esporadicamente – caso, segundo ele, do ex-senador Sérgio Guerra, que foi presidente nacional do PSDB e em 2009 teria pedido R$ 10 milhões para arquivar uma CPI da Petrobrás no Senado.

Sobre vários políticos, o ex-diretor da estatal apenas mencionou o nome. Não revelou valores que teriam sido distribuídos a eles ou a suas agremiações.

Foram citados os ex-governadores do Rio Sérgio Cabral (PMDB), do Maranhão Roseana Sarney (PMDB) e de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) – que morreu em um acidente aéreo em 13 de agosto, durante campanha presidencial.

Primeiro escalão. A lista inclui também o ex-ministro Antonio Palocci (PT), que ocupou a Esplanada nos governos Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma; os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), o atual ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, e ex-ministros Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e Mário Negromonte (Cidades).

Os 28 nomes são exclusivamente de políticos que teriam sido beneficiários dos negócios da diretoria de Costa. A Polícia Federal e a Procuradoria da República trabalham com outros nomes de políticos que se relacionavam com os ex-diretores da estatal Renato Duque (Serviços) e Internacional (Nestor Cerveró).

As revelações foram feitas em depoimentos prestados por Costa à força tarefa da Lava Jato e fazem parte do acordo de delação premiada firmado pelo ex-diretor com o Ministério Público Federal em troca de redução da pena. Desde que sua delação foi aceita pelo Supremo Tribunal Federal, ele cumpre prisão em regime domiciliar, no Rio.

Alguns nomes dessa lista também aparecem na relação fornecida pelo doleiro Alberto Youssef, que firmou acordo semelhante – ainda não homologado pelo ministro Teori Zavascki, do STF.

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, deve denunciar os envolvidos no esquema de desvios da estatal em fevereiro, quando tem início a nova legislatura (mais informações no texto abaixo).

A delação do ex-diretor da Petrobrás, já homologada pelo Supremo, estava com Janot desde novembro. Ele aguarda o teor do depoimento de Youssef para cruzar os nomes citados, o que deverá ser realizado até o início da próxima legislatura.

Foro - Na troca da composição do Congresso, alguns dos citados perdem foro privilegiado e passam a ser julgados pela Justiça de primeira instância. Por decisão do ministro Teori Zavascki, as investigações permanecem divididas entre a Suprema Corte e a Justiça Federal no Paraná, onde serão investigados os acusados que não têm mandato.

A lista de 28 nomes foi revelada por Costa exclusivamente no âmbito da delação premiada. Como são citados políticos com foro privilegiado, o caso foi parar no STF. Em depoimentos à primeira instância da Justiça Federal, o ex-diretor da Petrobrás não falou de políticos, mas citou que o PP, o PMDB e o PT recebiam de 1% a 3% sobre o valor dos contratos da estatal para abastecer caixa de campanha.

A investigação desvendou uma trama de repasses a políticos na estatal. A Lava Jato foi desencadeada em março e identificou a parceria de Costa com o doleiro Youssef. 

Na última fase da operação, deflagrada em 14 de novembro, foram presos os principais executivos e dirigentes das maiores empreiteiras do País, todos réus em ações penais por corrupção ativa, lavagem de dinheiro, crimes de cartel e fraudes a licitações. (Com Estadão)


ESTE BLOG SERÁ NOVAMENTE ATUALIZADO NA SEGUNDA-FEIRA, 22-12.


DIREITA FESTIVA

Hoje, a direita acha que uma conta no Twitter vale mais do que uma CUT, por exemplo, mas não é exatamente assim. Atrás do poder de mobilização das redes sociais, a direita não conta com movimentos organizados”

Avaliação do professor Timothy Power, diretor do Programa de Estudos Brasileiros da Universidade de Oxford, sobre aspectos da “nova direita” no Brasil.


Por Murillo Schneiberg: REBANHO HUMANO X EXECUTIVO EM FOZ

Observamos de maneira estarrecida, esta avassaladora onda depreciativa em relação a gestão atual. Pois bem, manifestações, opiniões, divergências, criticas, foram, são, e, sempre serão, alicerces de um verdadeiro estado democrático!!!

Contudo, é notório e público, ao presenciamos determinados “atos" fomentados por pseudos benevolentes, senhores(as), adolescentes “cyber”... Ou seja, um conglomerado de modistas, rebanho humano, destilam suas vorazes críticas sem ao menos apresentarem algo em contraposição...

O lema é criticar, doa a quem doer, colocam-se como os arautos do bom-mocismo, condicionados a um comando, comando este, de quem já esteve a frente do executivo e, sinceramente, pouco fez!!!

Infelizmente esta propagação do rebanho humano, desencadeia apenas o repúdio, posto que, observamos quão volátil tornara-se o “ser humano” antítese evolucionista... utilizam-se de ferramentas comprovadamente superficiais, a fim de, criticar, saciar seus egos frustrados, em prol de “curtidas" um desejo patológico de popularidade, e a contraposição, NADA!!! Contrapor algo ou alguém, necessita embasamento para tal, justamente a ausência desta coerência os impulsiona exclusivamente a criticar.

Como se não bastasse, presenciamos uma atitude vergonhosa da excelentíssima vice prefeita, Sra. Ivone, publicando severas críticas ou trocando em miúdos, cuspindo, escarrando, no saboroso prato que comeu e o utilizou para pleitear algumas secretarias... todavia, não creio que seja surpresa, pois, a mesma, excelentíssima, em detrimento aos candidatos daqui, apoiou o de lá, na última eleição!!!

Enfim, uma recomendação aos modistas, pertencentes ao rebanho, onde um boi vai e todos vão atrás, criticar é saudável, apresentar contraposição é mais saudável ainda, a liberdade de expressão não restringe-se apenas a uma determinada classe, não é concedida ou concessão de, ou, por autoridades, é um direito inalienável do povo, exerçam com responsabilidade, juízo, imparcialidade, princípios básicos e vitais, em busca da soberania moral!!!


FALTA TEMPO PARA "RAIO X"  NO LEGISLATIVO IGUAÇUENSE

Caros Leitores, muito tenho a comentar sobre os mais recentes fatos na Câmara Municipal, em especial, sobre as atuações de figuras como Nilton Bobato (PCdoB) e o carismático Gessani da Silva (PP), por exemplos. Desde quarta-feira (17), estou passando por umas avaliações médicas relativas a astroscopia que fiz em meu joelho esquerdo e hoje, quinta-feira (18) irei retirar os pontos dessa citada cirurgia, o que me deixa sem tempo para escrever tudo aquilo que ainda tenho que comentar sobre o Legislativo de Foz. Acho que coloco a pauta em dia na próxima atualização deste blog...


DUSO, O "PATINHO FEITO" DO PT/FOZ, VIROU UM BELO CISNE...

Fácil, extremamente, fácil”, oi assim que o vereador Fernando Duso (PT/Foz) foi eleito presidente da Câmara Municipal de Foz do Iguaçu. Com 14 dos 15 votos dos edis locais (somente Dilto Vitorassi do PV, não votou nele), Duso terá agora, somente, ter que contar a “gregos” e “baianos”... Parabéns ao novo presidente do Legislativo iguaçuense.


MANIFESTOS NA CÂMARA MUNICIPAL, DIFICULTARAM SESSÃO LEGISLATIVA

Entre os demais presentes na sessão do Legislativo iguaçuense nesta terça-feira (16), se fizeram presentes manifestantes que, apesar de devidamente alertados inúmeras vezes sobre as disposições regimentais quantos aos limites permitidos durante os trabalhados naquela Casa de Leis, em diversos momentos tumultuaram os trabalhos do dia, sendo que ouve até a necessidade de intervenção da Guarda Municipal para conter alguns ânimos mais exaltados.

Apesar dos distúrbios, os vereadores puderam concluir a votação do novo presidente da Câmara Municipal e dar andamento nos demais assuntos da pauta do dia, dentre eles um pedido de comissão processante contra o atual prefeito, pedido esse dos comunistas, que foi recusado por 10 votos contra apenas 4 (Bobato, do PCdoB, Anice – PT, Queiroga – DEM e Gessani do PP, votaram a favor.)

Em Tempo: Entre os manifestantes, estavam cerca de 20 militantes políticos e ex-ocupantes de cargos comissionados do governo municipal anterior que, como de costume nos recentes movimentos reivindicatórios da população local, incitavam os manifestantes contra a atual administração de Foz.


PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR

Depois de votar a favor do derrotado pedido do PCdoB tentando aprovar uma comissão processante que poderia cassar o prefeito de Foz do Iguaçu, o vereador Gessani da Silva devolverá os cargos que possui nomeados sem concurso na prefeitura ou esperará que os mesmos sejam, mais do que natural, exonerados?


NÃO DUVIDO NADA...

Estavam imaginando: o prefeito Reni Pereira veio ontem a Brasília, onde este blogueiro se encontra neste momento, para agenda de trabalho aqui na Capital Federal e ontem retornou para a Tríplice Fronteira. 

Confesso que fiquei curioso para saber se no aeroporto já estariam vereadores esperando o alcaide local, para pedir os cargos comissionados do, agora pela “bola sete”, o carismático edil Gessani da Silva, ou se os “gulosos” edis deixaram isso para hoje, provavelmente, bem cedinho...


SORRY

Com agenda bastante lotada hoje aqui em Brasília, preciso para a presente atualização do blog por hoje, mas volto amanhã com os bastidores do fracassado pedido do PCdoB iguaçuense contra o prefeito de Foz, o que, tenho convicção, nada mais foi do que um mero factoide politiqueiro, arquitetado de forma consciente do resultado que teria e teve...

_________________________________________________________________________


ÉPRÁCABÁ”

Também hoje na Câmara Muncipal de Foz, será apreciada uma “denúncia de Infração Político-Administrativa apresentada pelo Partido Comunista do Brasil – PcdoB, contra o prefeito Reni Pereira, por supostamente omitir-se de praticar ato de sua competência e negligenciar na defesa de bens, rendas e interesses do Município.

Para Registro: A atual composição da Casa de Leis iguaçuense não reúne condições morais de julgar quem quer que seja. E aviso, nem adianta tentarem interpelar este blogueiro pela opinião ora exposta, porque toda a sociedade iguaçuense, principalmente os Edis não “tão nobres assim”, sabe muito bem que minha opinião tem fundamento!!!


DA CARTA DA VICE-PREFEITA DE FOZ

Li na internet a carta que a vice-prefeita de Foz do Iguaçu, Ivone Barofaldi (também presidente do PSDB local), divulgou apresentando a posição dela em relação ao prefeito Reni Pereira (PSB) após dois anos do atual governo. 

Sem entrar no mérito da questão, depois da tal carta, pelo teor da mesma, creio que não resta a Dona Ivone, a não ser renunciar ao cargo de ex-prefeita e/ou, no mínimo, devolver todos os cargos que o partido dela possui na atual administração.

Em seu perfil no Facebook, onde postou a íntegra da carta onde faz séries denúncias contra o prefeito de Foz, Dona Ivone recebeu diversos comentários sobre a carta, dentre os quais, estão muitas as cobranças lá para que renuncie da condição de vice-prefeita.


PROTESTO POR MORTE DE CRIANÇA NO SUS EM FOZ

Cerca de 250 pessoas realizaram manifestação no último sábado passado (13), defronte ao colégio Bartolomeu Mitre. O protesto, organizado por meio de Redes Sociais, foi em razão das circunstâncias da morte de uma criança em Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Segundo denúncias dos familiares, a criança teria ficado sem atendimento médico por mais de 15 horas. Uma sindicância interna foi instaurada na prefeitura para apurar os fatos e a família prestou queixa na polícia.


DO PROTESTO

O protesto foi um ato legítimo e democrático e precisa ser visto como tal. Particularmente, sou a favor de toda e qualquer manifestação pacífica da população por seus direitos. O que preocupa é a infiltração de políticos ligados a gestão do ex-prefeito, várias vezes já condenado pela Justiça, Paulo Mac Donald nessas mobilizações, como a de sábado passado, que tinha como foco a Saúde no Município.

Em Tempo: Pra quem não sabe ou não quer, convenientemente, se lembrar, durante os primeiros anos de governo Mac Donald, várias pessoas ficaram cegas ao serem medicadas na rede municipal de Saúde e o ex-prefeito, entre vários irregularidades apontados no governo dele, responde por desvio de mais de R$ 4 Milhões que eram destinados, dentre outras coisas, para compra de remédios.


POIZÉ”

Uma rápida análise de alguns dos principais “insufladores” de ânimos no Facebook e etc., percebe-se que, cerca de 20% são pessoas que ocuparam cargos comissionados no governo do ex-prefeito Paulo Mac Donald, que se autodenominam como “ativistas” de redes sociais. 

Além os aliados de Mac Donald infiltrados nas legítimas manifestações da população local, estão também outros militantes políticos ligados a potenciais candidatos a prefeito em 2016. São justamente esses infiltrados que podem, creio, “desligitimar” esses importantes movimentos reivindicatórios.

Basta uma rápida conferida em quem são os que mais comentam e participam dos protestos nas Redes Sociais contra a administração pública local e se perceberá que se trata de um “ciclo” de cerca de 200 pessoas, dentre as quais umas 30, no máximo, são os fomentadores das “cybermanifestações”, que não poupam palavras de baixo calão e até ofensas contra as famílias de políticos locais, o que, convenhamos, não é fazer crítica e sim crime.

Dessas cerca de 30 pessoas, 1/3 são os aliados do ex-prefeito Mac Donald e/ou ligados a políticos de olho no pleito de 2016, pleito que já começou...


MASSA DE MANOBRA, NÃO!!!

Que fique claro que não estou aqui querendo defender os erros da atual Administração do Município, pois certamente erros existem, como existiram erros graves em todas as demais administrações anteriores, apenas alerto para que a legítima e importante mobilização dos cidadãos por seus direitos, não se deixe levar por pessoas a serviços de interesses politiqueiros partidários.


PERGUNTA QUE NÃO QUER CALAR

A “infiltração” de militantes, ligados a interesses partidários, nos movimentos de reivindicação popular em Foz do Iguaçu, não seria o fator responsável pela baixa participação da cidadania nessas mobilizações?


PASSADA A ELEIÇÃO, COMO FAZER POLÍTICA NA NOSSA VIDA DIÁRIA?

Milhões de pessoas participaram intensamente das discussões da campanha eleitoral; e agora, como quem não ganha para fazer política pode continuar a fazer política?

Por Nicolas Chernavsky*

Durante a campanha eleitoral, milhões de pessoas no Brasil se lançaram às redes sociais e às ruas para participar da disputa de ideias, sem receber por esta atitude dinheiro dos candidatos, candidatas e partidos que defendiam em discussões com a família, amigos e conhecidos.

Como além dessa atividade política durante a eleição esses milhões de pessoas tinham que se dedicar também a suas atividades profissionais, agora, passada a eleição, a intensidade de sua atividade política também diminuiu muito.

Existe a impressão de que, agora, a política volta a ser protagonizada basicamente por quem recebe salário pra isso, sejam políticos eleitos, funcionários estatais de alto escalão, assessores, funcionários de partidos ou mesmo jornalistas políticos dos meios de comunicação que podem pagar por esse trabalho.

Mas e as milhões de pessoas que participaram muito ativamente na campanha eleitoral? Não haveria alguma forma de, mesmo não recebendo dinheiro para fazer política, continuarem a influenciar o ambiente político nacional e mundial?

Sim, há. Claro que não na mesma intensidade que ocorreu durante a campanha eleitoral, que foi um esforço concentrado. Mas na nossa vida diária, temos muitas oportunidades de nos comportarmos politicamente ativos. E mais: algumas dessas atitudes, se tomadas de forma massiva, são até mais influentes do que as atitudes daqueles que ganham dinheiro para fazer política.

Claro que um grupo não substitui o outro, ou seja, é preciso que haja quem ganhe dinheiro para fazer política, mas também é preciso que haja quem faça política sem ganhar dinheiro. Como?

Em primeiro lugar, é muito importante escolher bem nossas fontes de informação. Existe no Brasil uma estrutura montada especialmente durante a ditadura militar (que durou de 1964 até os últimos anos da década de 1980), que se refere a concessões e redes de televisão e rádio, e também aos meios de comunicação escritos que a ditadura permitiu que continuassem existindo.

Tendo consciência dessa estrutura, fica mais fácil perceber seu intenso conservadorismo, havendo então a alternativa de procurar fontes de informação mais progressistas. 

Nesse contexto, apesar de haver alguns meios de comunicação fora da Internet relativamente progressistas, a Internet, pela facilidade, variedade e baixo custo de acesso, apresenta uma extraordinária alternativa para quem quiser procurar meios de comunicação que possam apresentar uma visão de mundo muito mais realista.

Com isso, os usuários desses meios de comunicação da Internet podem usar as redes sociais para participar da vida política do país e do mundo, e não só compartilhando conteúdo dos meios de comunicação, mas também produzindo conteúdo e análise.

Que outra forma há para este tipo de participação política? A economia e o trabalho diário. Todo mundo, basicamente, precisa de dinheiro para viver. Assim, não há como fugir da necessidade de ganhá-lo. A forma como o ganhamos tem uma considerável influência política, que é especialmente grande para atitudes tomadas em massa.

Assim, na hora de escolher um emprego ou uma atividade econômica autônoma, podemos levar em conta os efeitos que isso traz para a sociedade em geral. Por exemplo, podemos prestar atenção às consequências das atividades das empresas às quais prestamos serviços, seja como empregados ou como fornecedores. Se trabalhamos para uma empresa ou com uma empresa, estamos ajudando a que ela chegue aos seus objetivos. Precisamos assumir nossa cota de responsabilidade por isso.

Uma atitude análoga a essa, quanto a ganhar dinheiro, pode ser tomada quanto a gastar dinheiro, ou seja, quando somos consumidores. Quando damos dinheiro a uma empresa ou uma pessoa por um serviço ou produto, também estamos ajudando-as a chegar a seus objetivos, e também precisamos assumir nossa cota de responsabilidade por isso.

Dessa forma, entre ir a uma lanchonete que paga salários extremamente baixos e ir a uma que paga um pouco melhor, podemos escolher esta última, desde que os preços não sejam exageradamente altos.

No prédio em que moramos, podemos escolher que o condomínio não pague salário-mínimo para o pessoal da limpeza, e sim pelo menos um pouco mais (o que a reunião de condôminos permitir) e o fato do serviço ser terceirizado não é desculpa, pois supostamente é possível negociar com a empresa terceirizada.

Ao abrir a conta em um banco, podemos conseguir não achar que é tudo igual, mas perceber as diferenças, às vezes pequenas, é verdade, mas reais, que justificariam ser cliente de um ou outro banco, levando em conta atitudes políticas e econômicas que estes bancos tomaram inclusive durante a campanha eleitoral, ou até mesmo em períodos ditatoriais do país.

O mesmo vale para empresas de telecomunicação ou montadoras de carros, por exemplo. Afinal de contas, se a empresa teve um determinado comportamento político e econômico, uma pessoa se tornar cliente dela significa contribuir para que ela chegue a seus objetivos.

As pessoas, quando são consumidoras, devem então assumir sua parte de responsabilidade em que as empresas atinjam esses objetivos, que muitas vezes são inclusive políticos.

Enfim, estes são apenas alguns exemplos de que a política é também algo do dia a dia, inclusive das nossas relações econômicas como pessoas. Tomar consciência de que as escolhas que fazemos quanto ao nosso trabalho, as nossas finanças e quanto aos meios de comunicação que usamos também têm influência política ajuda a que, agora que as eleições passaram, continuemos a influenciar a política da forma que podemos, do local em que estamos na estrutura comunicacional e produtiva.

Da mesma forma, perceber que lugar ocupam na estrutura econômica os meios de comunicação fora da Internet nos ajuda a perceber que é exatamente na Internet que se localiza a maior janela para a livre troca de ideias e a circulação da informação com a mínima influência possível de filtros ligados a interesses conservadores.

*Nicolas Chernavsky é jornalista formado pela Universidade de São Paulo (USP)


COMEÇA NOVO “DESENHO” DE BLOCOS PARTIDÁRIOS NO CONGRESSO NACIONAL

Começaram as composições de novos blocos partidários no Congresso Nacional. O resultado das eleições de outubro e até o escândalo do “Petrolão”, são os motivos do surgimento, até que precoce de novos blocos, quando nem foram empossados os congressistas eleitos neste ano, o que ocorrerá somente em fevereiro de 2015...


SOLIDARIEDADE, PSB E PPS FORMAM O PRIMEIRO NOVO BLOCO

Os presidentes e líderes do PPS, do PSB, do Solidariedade e do PV fecharam nesta semana, durante almoço em Brasília, a formação de um bloco parlamentar para atuar no Congresso Nacional, nas Assembleias Legislativas e nas Câmaras Municipais. O bloco de oposição ao governo Dilma Rousseff, deverá ter 67 deputados federais.


EFEITO CASCATA PODE CHEGAR EM FOZ

Se mantida a intenção dos líderes nacionais do Solidariedade, PSB e PPS, de que a composição partidária no âmbito nacional seja estendida aos municípios, poderemos ter como aliados nas eleições de 2016 para prefeito em Foz do Iguaçu, o grupo do prefeito Reni Pereira (PSB), unido com o PPS de Osli Machado (ex-procurador geral do ex-prefeito Paulo Mac Donald) e o Solidariedade, presidido localmente pelo vereador Coquinho, legenda que conta ainda com os vereadores Edilio Dall’ Agnol e Marino.


MAIS EFEITO CASCATA NA TERRA DAS CATARATAS

Outro bloco que pode ser composto no Congresso Nacional, é entre o PROS, presidido em Foz do Iguaçu por este blogueiro do Nossa Voz, e o PDT do ex-prefeito Paulo Mac Donald, de quem sou ferrenho adversário político. Confesso que se não fosse o ex-prefeito, até gostaria dessa possível composição, haja vista os bons amigos que possuo entre os verdadeiros “brizolistas” iguaçuenses...

Em Tempo: Nas conversações sobre a composição de um bloco entre PDT e o PROS, tem surgido a possibilidade de que tal composição tenha ainda o PCdoB, que em Foz tem o vereador Nilton Bobato, mas aí, confesso também, é muito pra minha cabeça...


O PT TAMBÉM QUER

Vendo todas as movimentações partidárias em direção a composição de blocos, o comando nacional do PT, quer que o PROS, PDT e PCdoB componham um bloco com o Partido dos Trabalhadores, bloco esse que teria 109 deputados federais.

Anotem: Com Mac Donald (PDT), Bobato (PCdoB) e Anice (presidente do PT em Foz), essa “composição” não vai dar liga com o PROS em Foz do Iguaçu.


RELATÓRIO DA COMISSÃO DA VERDADE DE SP SUSTENTA QUE JK FOI ASSASSINADO

Para a Comissão Estadual da Verdade, de São Paulo (CEV/SP), o ex-presidente da República Juscelino Kubitschek foi assassinado pela ditadura militar. A conclusão, divulgada nesta quinta (11), contradiz a versão apresentada pela Comissão Nacional da Verdade (CNV) em abril deste ano, de que Juscelino morreu em acidente de carro.

Para a CNV, Juscelino e seu motorista, Geraldo Ribeiro, não foram vítimas de homicídio. Eles morreram em decorrência das lesões causadas pela batida entre o Opala que transportava o presidente e um caminhão Scania, que vinha no sentido oposto da Rodovia Presidente Dutra, local do acidente, no município de Resende (RJ), em 22 de agosto de 1976.

Embasada por relatório preparado por uma equipe de mais de 20 professores e pesquisadores das universidades de São Paulo (USP) e Presbiteriana Mackenzie, a CEV/SP enfatiza que “a investigação da Comissão Nacional da Verdade sobre o caso JK é de baixa qualidade técnica, em razão do que ignora, em razão do que escolhe arbitrariamente analisar e em razão do que escolhe arbitrariamente concluir”.

Segundo a CEV/SP, as investigações abrangeram desde as ameaças de morte sofridas pelo ex-presidente até a alteração do veículo e a não preservação do local do acidente para perícia. A comissão diz ainda que houve tentativa de pagamento de suborno ao motorista do ônibus, que fechou o carro do ex-presidente, antes que viesse a colidir com o caminhão.

A comissão pede que seja alterado também o relatório conclusivo da CNV sobre a morte de JK, além de sugerir que seja feita uma cerimônia de revogação da cassação de JK e subsequente cerimônia de sepultamento oficial.

...Continuar lendo

Assinante

Login:
Senha:
 
Esqueci a senha
Quero ser um assinante
Untitled Document

JORNAL ONLINE

Edição Atual
Untitled Document

ENQUETE

Participe da Enquete

Opine - Sobre a obra da Hidrelétrica do Baixo Iguaçu a ser construída a 1 Km do Parque Nacional:

Sou a favor
Sou contra
Desconheço
Preocupa
Afetará as Cataratas
Afetará o meio ambiente
É fundamental


Ver Resultado
Untitled Document

VIDEO EM DESTAQUE

FALTAM MÉDICOS NA SAÚDE PÚBLICA DE FOZ
Untitled Document

TWITANDO

Todos os direitos reservados para O Iguassu - oiguassu@oiguassu.com