O Iguassu - Seu jornal de notícias em Foz do Iguaçu
Untitled Document
Untitled Document
Untitled Document

EDITORIAIS

Edições Anteriores
Política

COLUNISTAS

Carlos Bachtold
José Reis (Cazuza) - Nossa Voz
Untitled Document

ULTIMAS NOTICIAS

Nossa Voz
TERRORISMO NO BRASIL
Edição 09-01
Edição 08-01
Edição 07-01
Edição 02-01
Edição 31-12
Untitled Document

ELES ESTÃO LENDO

MGMlado2
Untitled Document
Untitled Document

José Reis (Cazuza) - Nossa Voz

Nossa Voz

2015-02-27
 

Fale Conosco: nossavoz.foz@gmail.com


DO ENSINAMENTO BÍBLICO

“Lembre da minha ordem: 'Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, o Senhor, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!' ”

(Josué 1:9)





INACEITÁVEL

“Os guardas foram muito educados, mas o procurador não me dava a carta para entrar na ilha. A embaixada brasileira ficou muito chateada. Eles me disseram que ninguém se preocupou em cuidar dele [Archer]. Normalmente, há um momento em que o pastor ou padre vão para consolá-los. Ninguém consolou o Marco”

Do padre Charles Burrows, sobre Marco Archer Cardoso Moreira ter sido fuzilado pelo governo indonésio por tráfico sem direito a extrema-unção. Archer era cristão católico. A notícia foi divulgada pelo jornal australiano “The Sydney Morning Herald” e repercutiu na mídia internacional e nacional neste domingo (22).


DILMA RECUSOU CREDENCIAIS DE DIPLOMATA INDONÉSIO POR CONTA DE FUZILAMENTO DE BRASILEIROS

A presidente Dilma Rousseff se recusou a receber na sexta-feira (20) a carta credencial do novo embaixador da Indonésia no Brasil, Toto Riyanto. O embaixador esteve no Palácio do Planalto para repassar ao governo brasileiro a carta credencial, assim como os novos embaixadores da Venezuela, de El Salvador, do Panamá, do Senegal e da Grécia. A cerimônia foi encerrada sem a participação do indonésio. A atitude de Dilma é um claro ato de desaprovação pela execução de brasileiros naquele país asiático.

No dia 17 de janeiro, o brasileiro Marco Archer foi fuzilado na Indonésia, em cumprimento à pena de morte por tráfico de drogas. Após a execução, Dilma convocou o embaixador brasileiro na Indonésia, um ato diplomático que demonstrou a insatisfação do Brasil. 

Outro brasileiro, Rodrigo Muxfeldt Gularte, aguarda fuzilamento na Indonésia. Existe um laudo médico comprovando ser ele portador de doença mental, o que, pela legislação internacional, impede a execução de prisioneiro.


NERVOS A FOR DA PELE

Devem ser divulgados nesta semana os nomes de cerca de 70 políticos detentores de mandatos envolvidos na roubalheira do “Petrolão”. A maioria deles, segundo amplamente divulgado na mídia, são do PMDB, PT e PP, mas é tido como certo que uma “estrela” da oposição ao governo Dilma Rousseff também estaria envolvido. 

Um dos nomes cogitados como sendo a tal “estrela da oposição” seria o senador paranaense Alvaro Dias (PSDB/PR), que teria usado o “jatinho” do doleiro Alberto Rousseff, o mesmo que usou o deputado federal cassado, André Vargas (PT/PR).


CPI DO PETROLÃO

Em Brasília, tudo pronto para a “CPI do Petrolão” no Congresso Nacional. Entre os nomes citados, já estariam confirmados os dos “oposicionistas” Paulinho Pereira da Silva (SP/SDD), deputado federal e presidente nacional do Solidariedade; dep. fed. Paulo Magalhães (PSD-BA), dep. fed. Júlio Delgado (PSB-MG); dep. fed. Onyx Lorenzoni (DEM-RS); João Carlos Bacelar (PR-BA) e ainda os deputados federais “Tucanos” dep. fed. Izalci (PSDB-DF), dep. fed. Otávio Leite (PSDB-RJ) e Bruno Covas (PSDB-SP), este último citado, neto do falecido ex-governador de São Paulo e ícone do “Tucanato”, Mário Covas.


“ÉPRÁCABÁ”

Tenho recebido alguns e-mail’s de um estimado e prezado “Tucano de Alta Plumgem” de Foz do iguaçu, o qual vem me fazendo severas críticas por achar ele, que eu “protejo” aqui no blog Nossa Voz os “Petralhas” e que eu só estaria “atacando” os “Tucanos” aqui neste espaço de informação.

A verdade é que esse citado “Tucano” iguaçuense, parece ler aqui somente o que diz respeito aos correligionários dele, afinal, jamais deixei de pedir neste blog, cadeia para todo e qualquer envolvido no “Petrolão”, inclusive para “Petralhas” e, lógico, “Tucanalhas”.

Mais. Reitero: Os Tucanos não possuem idoneidade moral para falar de quem quer que seja, afinal, até no “Petrolão” eles estão envolvidos e não nos esqueçamos que foram os Tucanos” mineiros, durante o governo Eduardo Azeredo em MG, que inventaram o “Valerioduto” de Marcos Valério , esquema de corrupção política que os “Petralhas” aperfeiçoaria com o “Mensalão”.


APROVEITANDO O ENSEJO...

“Salvo engano, de acordo com a legislação em vigor (me corrija seu eu estiver engando, por favor), quem assalta, a mão armada, um banco e rouba R$ 500, deve ter a mesma condenação legal de quem assalta um banco, a mão armada, e rouba R$ 10 Bilhões... Portanto, os ‘Tucanalhas’ não possuem idoneidade moral para falar de ‘Petralhas’ e cadeia para eles, ‘Petralhas’ e ‘Tucanalhas’, certo ???”

Este blogueiro fez o comentário acima no Facebook, em razão de uma postagem sobre o “Tucano” Fernando Henrique Cardoso alegar que os “Petralhas” agem como quem “bate uma carteira” (punguista) e grita “pega ladrão”. Bem, como expliquei no Facebook em meu comentário entre “aspas” acima, ladrão é ladrão, independentemente do valor que rouba.


POR FIM: "Farinha do Mesmo Saco"

Os “Petralhas” elevaram a corrupção neste país a máxima potência, mas foi outra corja, a dos “Tucanalhas”, que começou tudo e esse “mérito” dessas “aves malditas” não pode ser ignorado. Pronto, falei e disse!


UMA BOA SEMANA A TODOS!

_________________________________________________________________________


DO PAPELÃO DO “SPIDER MAN”

Se alguém precisa de doping para competir, então aqui (o octógono do UFC) não é o seu lugar”

Do presidente do UFC, Dana White, depois sobre os reiterados casos positivos nos exames de doping do lutador paranaense, Anderson “Aranha” Silva.


VOLTA, PIZZOLATO

Pizzolato (esq.), Lula e o terrorista Battisti, Itália pode dar o troco na mesma moeda...

Pensando bem, o maior “troco” que o governo italiano pode dar ao Brasil pela não extradição (em 2010) do terrorista Cesare Battisti, condenado a prisão perpétua por assassinatos naquele país europeu, é extraditar o ex-diretor do Banco do Brasil, Henrique Pizzolato, para que ele acabe fazendo mais uma delação premiada e conte tudo o que sabe sobre os “Petralhas”. Essa “contrapartida” do governo italiano seria o que Lula e Cia. Ltda. merecem por ter mantido em nosso país o tal Battisti.


EM QUANTO ISSO, “TUCANALHAS” A PASSOS DE "TARTARUGA COM CÂIMBRA"...

A Folha de São Paulo divulgou que a apuração interna da Corregedoria-Geral do governo “Tucano” de Geraldo Alckmin (PSDB) sobre o cartel que agiu no Metrô e na CPTM está estacionada há um ano. Desde fevereiro de 2014, quando o órgão divulgou seu último balanço público, não foi colhido nenhum novo depoimento nem foram abertas novas frentes de investigação. No período, também não houve afastamento de funcionários de cargos de confiança.


TÍTULO “MACULADO” NO CARNAVAL DO RIO

O samba-enredo da campeã do carnaval carioca, a Beija-Flor, causou polêmica até no noticiário internacional antes mesmo de a folia ter início. 

O principal problema refere-se a R$ 10 Milhões que teriam sido dados em patrocínio do governo da Guiné Equatorial para aquela “escola” de Nilópolis.

Segundo Anistia Internacional, que também “esperneou” com o tal patrocínio, o regime ditatorial de Teodoro Obiang Nguema (foto ao lado) na Guiné Equatorial, acumula uma extensa lista de acusações de violações de direitos humanos, desde execuções extrajudiciais, tortura, prisões arbitrárias e repressão violenta a protestos.

De acordo com um ranking da revista Forbes, Obiang seria o oitavo líder mais rico do mundo, com fortuna oficial estimada em US$ 600 milhões (R$ 1,7 bilhão). 

A população do país, no entanto, é uma das mais pobres da África, e tem acesso a muito pouco da riqueza nacional, originária sobretudo da extração de petróleo.


ESTELIONATO ELEITORAL, INVENÇÃO DO PT?

Teoria do Estelionato* - Todos os presidentes vitoriosos nas urnas após o fim da ditadura militar cometeram estelionatos eleitorais. Trata-se de regra, portanto, não de exceção.

Collor confiscou o dinheiro das cadernetas de poupança, medida que na campanha havia acusado o adversário Lula de planejar. FHC conquistou seu segundo mandato com a promessa de preservar os fundamentos originais do Plano Real, que já faziam água por todos os lados e foram abandonados em semanas.

Do lado petista, Lula abraçou em seu primeiro governo as diretrizes neoliberais demonizadas pelo partido, incluindo o Bolsa Família na área social (seu programa era um tal Fome Zero, algumas vezes mais caro). Dilma Rousseff repete a dose agora, com o agravante de ter associado tal agenda à fome e ao desemprego, à base de argumentação rudimentar.

Uns se saíram melhor do que outros de seus embustes. O mais bem-sucedido, claro, foi Lula, que manteve a aprovação do eleitorado e contou com a boa vontade da classe política, além do entusiasmo dos mercados; FHC jogou fora sua popularidade, mas preservou apoios entre os partidos e a elite econômica; Collor ficou sem nada e deu no que deu.

Dilma não é Collor. Dispõe de um partido poderoso e de militantes fiéis na academia, na imprensa e na internet. A vasta base de sindicatos, movimentos e associações ligadas ao PT pode resmungar contra o corte de gastos sociais, mas não tem alternativas na oposição.

No entanto, os consertos necessários nas contas do governo, na inflação e no dólar estão se mostrando mais dolorosos e menos frutíferos que o previsto. O custo da escalada da rejeição da presidente ainda está longe de trazer o benefício da restauração da credibilidade no mercado.

Nesse cenário, a governabilidade dependerá crescentemente da boa vontade do Legislativo, ou do que restar dele após o caso Petrobras. Uma mina para PMDBs, PSDs ou Pls”

* Por Gustavo Patu, é o coordenador de economia da sucursal da Folha de S.Paulo em Brasília.


NÃO SÓ NO EGITO: TAMBÉM SOMOS CRISTÃOS

Foram assassinados pelo simples fato de serem cristãos. O sangue de nossos irmãos cristãos é um testemunho de fé e pouco importa que sejam católicos, ortodoxos, luteranos ou coptas: não interessa a seus perseguidores, que veem apenas que são cristãos porque seu sangue é o mesmo, seu sangue professa Cristo"

Do líder máximo da igreja católica, papa Francisco, sobre a decapitação de 21 cristãos egípcios pelos terroristas do Estado Islâmico.


A QUEM INTERESSA O IMPEACHMENT? *

"Golpe pela democracia". Esta pitoresca expressão foi cunhada por ninguém menos que Carlos Lacerda. Golpista nato, farejador de oportunidades, tentou derrubar em uma década quatro governos democraticamente eleitos. Derrubou dois: Getúlio em 54 e Jango dez anos mais tarde. No meio-tempo, investiu contra as posses de Juscelino e do próprio Jango em 61, sem o mesmo sucesso.

O lacerdismo combinou controle patrimonialista da imprensa, avalanches de denúncias de corrupção –criando a expressão "mar de lama" contra Getúlio– e servilismo aos interesses da elite, buscando atalhos para chegar ao poder que o voto popular insistia em lhe negar.

Eis que cinquenta anos depois ressurge o lacerdismo, com bico de tucano e pintado de verde e amarelo. O maior partido de oposição ao governo Dilma, o PSDB, passou a pregar abertamente o impeachment mal passado o luto pela derrota eleitoral. Lembra Hamlet: "Economia, Horácio! Servem os pastéis do enterro, mesmo frios, na mesa do noivado".

Ainda estavam quentes, na verdade. Mesmo antes da derrota, o ex-presidente do partido José Aníbal já havia postado em sua conta no Twitter: "Se tomar posse, não pode governar" (https://twitter.com/jose_anibal/status/524697787116830721). 

Logo após, Aécio pediu recontagem dos votos. Em janeiro, já depois de posse, foi a vez de José Serra e Alberto Goldman, ex-governadores de São Paulo, defenderem o impeachment.

Na semana passada, FHC entrou em cena e encomendou um parecer nível porta de cadeia para o jurista Ives Gandra Martins. Vale dizer: membro da Opus Dei, apoiador da ditadura militar e direitista contumaz. Seguindo a trama, após a divulgação da queda brutal de popularidade do governo Dilma, os senadores tucanos –Aécio, inclusive– passaram a falar do sentimento social em defesa do impeachment.

O circo foi montado, com direito até a convocações apócrifas para uma mobilização nacional. Agora, coloquemos a bola no chão e façamos diretamente a pergunta: a quem interessa um impeachment de Dilma?

Ao mercado? Com Levy na Fazenda, ajuste fiscal severo e aumento de juros, a elite financeira não tem razão alguma para apoiar manobras políticas arriscadas. Estão bem, obrigado.

Ao PMDB? É verdade que a eleição de Eduardo Cunha como presidente da Câmara e o fato de Michel Temer ser o primeiro na linha sucessória alimentam especulações e despertam interesses. Mas Cunha é acima de tudo um negociante.

O mais provável é que ele pratique uma extorsão sistemática do governo e inflacione o preço do apoio do PMDB, estabelecendo de quebra vetos a pautas mais progressistas. Interessa mais a ele ter a abertura de um processo de impeachment como trunfo permanente de chantagem do que utilizá-lo de fato.

E tem mais. A denúncia do procurador-geral contra os políticos envolvidos na Lava a Jato deve sair nos próximos dias. Se ela tiver um mínimo de seriedade –se não tiver sido elaborada nos porões do lacerdismo– não deixará pedra sobre pedra.

Terá gente do PT, do PMDB, do PSDB e de quase todos os partidos do Congresso, sem esquecer do próprio presidente da Câmara, que já foi citado em vazamentos e guarda ligação notória com grandes empreiteiras.

A faca do impeachment ou da cassação estará no pescoço de muitos, inclusive dos lacerdistas do PSDB. Será difícil encontrar quem esteja disposto a atirar a primeira pedra. Poderá ter efeito bumerangue.

No entanto, certamente haverá agitação social. Setores da mídia continuarão apostando no emparedamento do governo, fortalecendo um clima pró-impeachment. Parte mais intrépida da elite financeira deve jogar fichas numa rendição total de Dilma no tema da Petrobras, com a revisão do modelo de partilha do pré-sal e avanço na privatização. E as camadas médias urbanas, que vestiram a camisa do antipetismo, farão sua parte com marchas de rua udenistas.

Neste cenário, quem defenderá Dilma de um desgaste irreversível? Os trabalhadores? Muito difícil. Com ataque a direitos, corte de investimentos sociais e tarifaço, o governo não deve esperar grande respaldo das ruas. A queda da popularidade revela isso de modo inequívoco.

Seria um erro pensar que a queda está associada às denúncias de corrupção, que foram uma constante durante os últimos anos. Nas eleições foram amplificadas aos quatro ventos e mesmo assim Dilma ganhou. A perda de apoio revela principalmente um sentimento popular de traição. O povo votou em mais direitos e levou ajuste fiscal.

É evidente que os movimentos populares não aceitarão golpismo. O PSDB não tem autoridade moral para falar de impeachment e sequer para acusar estelionato eleitoral. Mas também ninguém está disposto a dar um novo cheque a Dilma. O cheque dado nas eleições foi descontado na conta dos trabalhadores.

Se Dilma quer ter condições de apelar às ruas em defesa de seu governo precisa antes tornar seu governo defensável. Os movimentos enfrentarão o golpismo, mas com a mesma energia que enfrentarão as medidas impopulares do governo.

*Por Guilherme Boulos, formado em filosofia pela USP, professor de psicanálise, militante da Frente de Resistência Urbana e autor do livro "Por que Ocupamos: uma Introdução à Luta dos Sem-Teto"


5 DICAS PARA NÃO PASSAR VERGONHA AO FALAR SOBRE O ASSUNTO “IMPEACHMENT DA DILMA”


1. O QUE É IMPEACHMENT? - O impeachment é um processo complexo que envolve a Câmara dos Deputados, o Senado Federal e o Presidente do Supremo Tribunal Federal. Os prazos e regras estão nos artigos 85 e 86 da Constituição Federal e na Lei nº 1.079/1950 — veja em detalhes aqui.

Resumidamente o processo tem início por denúncia formulada por qualquer cidadão à Câmara dos Deputados. O Plenário, então, decide se há pertinência para instaurar o processo, decisão que exige o voto de ao menos dois terços dos Deputados Federais. 

Instaurado o processo, no caso de crime de responsabilidade, encaminha-se a acusação ao Senado Federal e o Presidente da República fica automaticamente afastado do cargo enquanto aguarda o desfecho. O julgamento se dá pelo Plenário do Senado Federal. Para que se conclua pela cassação, também é exigido o voto positivo de ao menos dois terços dos Senadores da República.

2. NO CASO DE IMPEACHMENT DO PRESIDENTE, QUEM ASSUME O LUGAR? - Ao contrário do que muitos estão dizendo nas redes sociais, não é Aécio Neves quem assume. De acordo com o artigo 79 da Constituição Federal, em caso de cassação do Presidente da República assume o Vice-Presidente. Então, no cenário atual, caso a Dilma sofresse um impeachment, quem assume é Michel Temer(PMDB-SP).

3. E SE O VICE-PRESIDENTE TAMBÉM SOFRER IMPEACHMENT? - O Vice-Presidente pode sofrer impeachment se, após assumir o cargo de Presidente da República, cometer crime de responsabilidade. Mas não existe propriamente impeachment de Vice-Presidente. O que há é o impeachment do Presidente da República, que pode, no caso, ser um Vice-Presidente que assumiu o mandato.

De qualquer forma, se o Vice sair, a linha sucessória prevista o artigo 80 da Constituição Federal prevê por ordem: o Presidente da Câmara dos Deputados, o Presidente do Senado Federal e o Presidente do Supremo Tribunal Federal.

No cenário atual, se Michel Temer sofresse um impeachment, quem assume é Eduardo Cunha (PMDB-RJ). Se Cunha também saísse, quem assume é Renan Calheiros (PMDB-AL). Na linha de sucessão o próximo seria Ricardo Lewandowski.

4. EM QUAL CIRCUNSTÂNCIA SERIA NECESSÁRIO REALIZAR NOVAS ELEIÇÕES? - Isso pode acontecer caso fiquem vagos os cargos do Presidente e do Vice-Presidente, por cassação, morte ou renúncia. Aqui há um tratamento diferenciado, previsto no artigo 81 da Constituição Federal e em seu parágrafo primeiro. Se os cargos ficarem vagos nos dois primeiros anos de mandato, convocam-se novas eleições diretas. Caso isso aconteça durante os dois últimos anos do mandato, há eleição, mas indireta, pelo Congresso Nacional.

5. ENTÃO É POSSÍVEL QUE UM CANDIDATO NAS ÚLTIMAS ELEIÇÕES POSSA SER PRESIDENTE ANTES DE 2018? - Vale lembrar que Dilma Rousseff só poderia ser cassada por um eventual crime cometido no mandato atual, ou seja, a partir de 1 de janeiro de 2015. Mesmo denúncias de quando ela foi ministra ou no mandato de 2010 a 2014 não serviriam como base para o impeachment. O mesmo vale para o Vice-Presidente Michel Temer, que só poderia sofrer impeachment caso cometesse um crime a partir do dia em que virasse presidente. E tudo isso teria que acontecer em até dois anos após o início do mandato.



ATÉ TÚ, DUSO?

Por meio de forte estratégia e escusas articulações - o diretório local do PT deliberou em reunião, posicionamento favorável a atual gestão do Prefeito Reni Pereira, ou seja, sem a minha participação - deliberou-se que o Partido em Foz do Iguaçu passará a ser situação – integrando a Base Aliada ao prefeito

Da vereadora Anice Ghazzaoui (foto acima, com a de Fernando Duso ao lado), ainda presidente do PT de Foz do Iguaçu, injuriada com a decisão do presidente da Câmara Municipal, vereador Fernando Duso (PT), ter resolvido, na ausência dela, Anice, levar o partido para a base aliada do prefeito Reni Pereira.


...E TEM MAIS DA ANICE PRÁ CIMA DE FERNANDO DUSO

São articulações e golpes como este que enfraquecem a democracia e fazem a população deixar de acreditar nos políticos - basta perguntarmos o que eles ganham mudando de lado?"

Pelo visto desse outro trecho da “carta aberta” da presidente do PT/Foz, se sentindo tal qual a Rainha da Inglaterra (sem “tinta na caneta”), a vereadora Anice, qualificou de “golpe” a articulação do presidente da Câmara Municipal e Cia. Ltda.


POIZÉ”

Prezados Leitores, não consigo entender uma coisa: por que o presidente da Câmara Municipal, vereador Fernando Duso, centrou sua “artilharia” para cima do Gilmar Piolla (ainda no PT...), sendo que ele, Duso, ficou “pianinho” e nada fez contra vereadora Anice Gazzaoui (PT), que não só criticou o presidente do Legislativo iguaçuense, mas também divulgou até em jornal local, a “carta aberta” onde acusa Duso de ter dado um golpe no PT.


PARA INGLÊS VER

Sem poder legal nenhum de ingerência na construção do viaduto/trincheira no cruzamento da Av. Paraná com a BR 277 em Foz do Iguaçu, os vereadores Luiz Queiroga (DEM) e GessanI da Silva (PP), foram a Curitiba, segundo consta, em razão da interrupção das obras no citado cruzamento (obras que não são de competência do município...).

Em Curitiba os turistas, digo, vereadores de Foz, sequer foram recebidos por membros do primeiro escalão do governo do Estado. Quem os atendeu, segundo informações do site da Câmara Municipal, foram membros do segundo e terceiro escalão de governo, que informaram que há a possibilidade que as obras sejam retomadas em abril (se Deus quiser...).

Resumo da Ópera: A tal viagem de turismo, digo, de trabalho, foi desperdício do dinheiro do contribuinte local, afinal, essa informação da possibilidade de retomada das obras poderia ter sido obtida por telefone, o que teria sido muito mais barato para o erário....


POIZÉ”

Se por um lado, os brasileiros fazem o Facebook crescer, por outro estragam tudo... Qualquer serviço na Internet que tenha usuários brasileiros, em grandes proporções, vira um problema... Não irei censurar os brasileiros de usarem a rede, mas criarei um manual de comportamento”

Do criador e dono do Facebook Mark Zuckerberg, falando a CNN sobre estar “triste” com o comportamento dos brasileiros naquela rede social, onde os “tupiniquins” usam e abusam da perpetração de crimes, dentre eles, caluniar, difamar e injuriar...


CONFRONTO DESNECESSÁRIO

Duso x Piolla, uma briga que Foz do Iguaçu não merece e não precisa

Escutei o pronunciamento do presidente da Câmara Municipal, vereador Fernando Duso, no qual o presidente do Legislativo iguaçuense fez duras críticas a Gilmar Piolla, que preside o Fundo Iguaçu e é superintendente de Comunicação de Itapu, em razão de Piolla ter usado as redes sociais para fazer duras críticas ao PT, partido em que Piolla é filiado e com o qual mostrou insatisfação.

Creio que Duso, para se manifestar sobre os comentários de Piolla sobre o PT, deveria ter usado o mesmo instrumento que Piolla usou (redes sociais), afinal, usar a tribuna da Casa de Leis dos iguaçuenses para tanto, é usar de uma prerrogativa não acessível ao justo direito para o contraditório de Piolla na Câmara Municipal.

Se o Piolla usou as redes sociais, o correto seria Duso responder a ele no mesmo meio de comunicação e não a tribuna do Legislativo, ainda mais se tratando de questões internas do partido político ao qual os dois são filiados, pauta que não é prioridade nenhuma da cidadania guaçuense.


AINDA DA REAÇÃO DE DUSO CONTRA PIOLLA

O presidente da Câmara Municipal de Foz, Fernando Duso, é um jovem e hábil político, tanto assim que conquistou a presidência do Legislativo local, mas creio que ele exagerou na forma como se referiu a Gilmar Piolla, levando a questão, pelo jeito, para o campo pessoal.

Duso começa agora uma carreira política que tem tudo para ser promissora, mas precisa lembrar que Piolla tem um histórico de relevantes serviços prestados a Foz do Iguaçu, histórico esse mais que reconhecido pela sociedade iguaçuense (inclusive por homenagens prestadas a ele pelo Poder Legislativo, agora presidido por Duso), enquanto ele, Duso, ainda tem muio chão pela frente para se equiparar, e tem condições para isso, ao que Piolla já fez pela cidade.


INSUSTENTÁVEL

Ainda sobre a insatisfação manifestada por Gilmar Piolla contra o PT, me parece insustentável que ele continue filiado naquela agremiação partidária.


MENSALÃO VIVO”: PF ABRE INQUÉRITO CONTRA EX-PRESIDENTE LULA

A Polícia Federal confirmou ter aberto inquérito para investigar a atuação do ex-presidente Lula em uma das operações financeiras do mensalão. Lula é oficialmente investigado por sua participação no esquema que movimentou milhões de reais para pagar despesas de campanha e comprar o apoio político de parlamentares durante o primeiro mandato do petista.

O presidente teria intermediado a obtenção de um repasse de sete milhões de reais de uma fornecedora da Portugal Telecom para o PT, por meio de publicitários ligados ao partido. Os recursos teriam sido usados para quitar dívidas eleitorais dos petistas.

De acordo com Marcos Valério, operador do mensalão, Lula intercedeu pessoalmente junto a Miguel Horta, presidente da companhia portuguesa, para pedir os recursos. As informações eram desconhecidas até o ano passado, quando Valério - já condenado - resolveu contar parte do que havia omitido até então.

A transação investigada pelo inquérito estaria ligada a uma viagem feita por Valério a Portugal em 2005. O episódio foi usado, no julgamento do mensalão, como uma prova da influência do publicitário em negociações financeiras envolvendo o PT.

O pedido de abertura de inquérito havia sido feito pela Procuradoria da República no Distrito Federal. As novas acusações surgiram em depoimentos de Marcos Valério, o operador do mensalão, à Procuradoria-Geral da República.

Como Lula e os outros acusados pelo publicitário não têm foro privilegiado, o caso foi encaminhado à representação do Ministério Público Federal em Brasília. Ao todo, a PGR enviou seis procedimentos preliminares aos procuradores do Distrito Federal.

Um deles resultou no inquérito aberto pela PF. Outro, por se tratar de caixa dois, foi enviado à Procuradoria Eleitoral. Os outros quatro ainda estão em análise e podem ser transformados em outros inquéritos.

Em troca de seu silêncio, Valério disse que recebeu garantias do PT de que sua punição seria amena. Já sabendo que isso não se confirmaria no Supremo – que o condenou a mais de 40 anos por formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro – e, afirmando temer por sua vida, ele declarou a interlocutores que Lula "comandava tudo" e era "o chefe" do esquema. (Com JusBrasil)


AQUI NÃO!!!

Aborto eu não vou pautar (para votação) nem que a vaca tussa. Vai ter que passar por cima do meu cadáver para votar.

Do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, que é membro da igreja “Sara Nossa Terra”. A composição do Congresso Nacional em 2015 está mais conservadora do que era até 2014 e algumas bandeiras do movimento LGBT, tais como o aborto e o casamento homossexual, terão mais dificuldades de serem aprovadas naquele parlamento.


POIZÉ”

Fiquei sabendo que as acusações apresentadas pelo vereador comunista Nilton Bobato (PCdoB), sobre supostas irregularidades no contrato de geo-referenciamento da secretaria municipal de Tecnologia da Informação, são baseadas em depoimentos de pessoas que tiveram seus interesses contrariados pelo secretário daquela pasta de TI.

Segundo apurei, o contrato objeto da denúncia, custou R$ 1,5 Milhão, quando outros contratos semelhantes, com mesmo valor e objeto custam em média R$ 4 Milhões. Lages em Santa Catarina, por exemplo, teve este custo e o levantamento lá foi muito menos abrangente e com resultados muito menores do que os obtidos em Foz do Iguaçu.

Em Foz, se terá um aumento de aproximadamente, R$ 10 Milhões na arrecadação do IPTU, haja vista que o sistema detectou diversos imoveis que não estavam cadastrados e/ou com área construída menor do que as que realmente possuem.


JUSTIÇA TRIBUTÁRIA

Com os serviços realizados de geo-referenciação pela prefeitura de Foz do Iguaçu, além do aumento de arrecadação, também se levantou no cadastro do serviço, que inúmeros imóveis terão seus valores de IPTU reduzido e/ou isento, tendo em vista que alguns deles são de madeira (e constavam como de alvenaria), possuem dimensões maiores do que as que constavam no antigo cadastro e etc.


PEDIDO DE AJUDA

Se alguém puder, favor avisar a este blogueiro pelo e-mail nossavoz.foz@gmail.com, onde se localiza, no site da Rádio Cultura, o vídeo de entrevista do secretário de Tecnologia da Informação, que respondeu naquela rádio as acusações do vereador Nilton Bobato (PCdoB). Procuro a tal entrevista no aludido site desde sexta-feira (6) e não encontro, diferentemente do que ocorreu com o vídeo das acusações do Bobato, que estava com livre e fácil acesso urante dias naquele espaço da web...


"ÉPRÁCABÁ"

Grande parte dos que pedem o impeachment de Dilma Rousseff pensa que quem assumiria a presidência, caso isso (impeachment) aconteça, seria Aécio Neves (PSDB), quando, na verdade, Michel Temer (PMDB) é quem realmente comandaria o país é bom que se registre...


SANTINHO DO PAU OCO

Eu tenho processo, vários. São 18 cíveis e 18 criminais...Isso é um absurdo. Tem alguma coisa por trás disso. Eles querem fazer com que eu desista da política. Eles querem fazer com que eu entre em depressão, imagine... Eles querem estragar minha imagem na população.

Do ex-prefeito de Foz do Iguaçu, Paulo Mac Donald Ghisi, no programa “Contraponto” da Rádio Cultura, sobre as ações movidas contra ele pelo Ministério Público e a mais nova condenação judicial de Mac Donald. 


"ÉPRÁCABÁ"

Pelo que se pode interpretar, das acusações do ex-Alcaide da “Terra das Cataratas” na Rádio Cultura, ele tenta colocar o Ministério Público e a Justiça sob “suspeição” pela condenação que recebeu e isso é gravíssimo. Com a palavra os respectivos representantes do Judiciário e do Ministério Público.


NÃO DISSE E NÃO FOI A ELE PERGUNTADO

Paulo Mac Donald, o "dono do microfone"

Como de costume, o ex-prefeito Paulo Mac Donald foi na Rádio Cultura e falou o que quis. Foram mais de meia hora de microfones abertos para ele, dois quais, apenas uns 5 minutos foram sobre a condenação específica que recentemente recebeu. 

O restante do tempo da entrevista/monólogo foi usado para falar de outros processos que responde e para contar “causos” do governo dele, falatório esse que tinha como pano de fundo, desacreditar a condenação a mais de 2 anos de reclusão que recebeu da Justiça.

Mac Donald usou e abusou dos microfones da rádio, sem que a competente equipe do programa “Contra-Ponto” perguntasse a ele sobre os demais processos que ele responde. 

Para quem escutou o programa, a impressão foi de que Mac Donald responde somente os 36 processos citados por ele, quando, na verdade, possui vários outros, inclusive com condenação judicial, além dos dois anos de reclusão recentemente recebidos, sendo que sobre esses outros processos e condenação, nada foi questionado ao ex-prefeito no programa. Lamentável!


POIZÉ”

E o Paulo Mac Donald e seus aliados políticos, usam os acertos do governo dele, claro que nem tudo foi erro na administração do ex-prefeito de Foz, como se isso tornasse ele imune a Justiça e a Lei vigente no país. Deu no que deu, e o Judiciário vai “dar” muito mais ainda ao ex-prefeito, podem anotar...


E TEM MAIS DO CONTRAPONTO...

Em que pese o respeito que tenho pela equipe do “Contraponto” da Rádio Cultura, não posso me calar ante outro lamentável episódio da semana passada naquele importante espaço de radiodifusão. Explico: o vereador comunista, Nilton Bobato (PCdoB), foi naquele programa e fez acusações contra o secretário municipal de Tecnologia da Informação, Melquisedeque de Souza, acusações essas que foram gravadas em áudio e vídeo que, até hoje, estão sendo divulgados no site da rádio.

Acontece que o aludido secretário de TI foi na rádio responder as acusações de Bobato e a gravação do “contraditório” dele, passados dias, não foi disponibilizada para a população e isso, tenho que dizer, é, no mínimo, “um peso e duas medidas”. Pronto, falei!


BOM QUE SE SAIBA

Sobre as acusações do vereador comunista, Nilton Bobato, contra o secretário municipal de Tecnologia da Informação, é bom que se diga que as mesmas foram feitas não estando aquele edil com imunidade parlamentar e, portanto, não se comprove as acusações que Bobato fez na Rádio Cultura, ele poderá ser interpelado judicialmente pelas acusações.


EM TEMPO

Bobato, sem foice, martelo e muito menos o “vermelinho”

Dia desses fui questionado do por que sempre me refiro ao vereador Nilton Bobato como comunista. Pois bem, para quem não sabe, Bobato desvinculou a imagem dele do vermelho, da foice e do martelo. É muito difícil se localizar alguma imagem ou destaque que permita que se saiba que ele pertence ao partido comunista.

Para que melhor se tenha uma ideia de como aquele vereador é uma espécie de “camaleão” se tratando de “matizes”, na campanha dele a deputado federal nas eleições de 2014, Bobato trocou a tradicional cor (vermelha) e símbolos comunistas (a foice e o martelo), por um tom verde-amarelo que não permite aos incautos saber qual a real “matiz” daquele vereador.

É essa a razão pela qual ressalto sempre ser ele comunista, ainda que me pareça estar o Bobato muito mais para aquele “tipo” de comunista que “usa tênis Nike, calças da Levis, toma Coca-Cola” e se pintar um “carguinho comissionado” mais na Câmara Municipal então...



...Continuar lendo

Assinante

Login:
Senha:
 
Esqueci a senha
Quero ser um assinante
Untitled Document

JORNAL ONLINE

Edição Atual
Untitled Document

ENQUETE

Participe da Enquete

Opine - Sobre a obra da Hidrelétrica do Baixo Iguaçu a ser construída a 1 Km do Parque Nacional:

Sou a favor
Sou contra
Desconheço
Preocupa
Afetará as Cataratas
Afetará o meio ambiente
É fundamental


Ver Resultado
Untitled Document

VIDEO EM DESTAQUE

FALTAM MÉDICOS NA SAÚDE PÚBLICA DE FOZ
Untitled Document

TWITANDO

Todos os direitos reservados para O Iguassu - oiguassu@oiguassu.com